20 dezembro 2011

O mistério da "Placa"

Eu moro em uma cidade pequena, e como toda cidade pequena aqui também há poucas opções de lazer e diversão. Mas isso nunca foi um empecilho para nossa criatividade e senso de aventura. Para sanar essa falta de diversão e aventura eu e meus amigos (e amigas) usávamos a criatividade e inventávamos alguma coisa para fazer. 

Andar de bicicleta sempre foi uma boa opção. Enquanto a ideia corrente de diversão era, e ainda é, beber com os amigos em algum barzinho, nós nos rebelávamos contra esse senso comum e saíamos atrás de aventura, boas histórias e muitas risadas.

Á noite subíamos em um lugar que apelidamos de Morro. Era uma colina com gramado, algumas belas árvores e algumas grandes rochas. No começo subíamos porque era um lugar muito bonito, tanto de dia quanto à noite. Depois começamos substituir outras atividades pelo prazer de estar lá. A liberdade que tínhamos no Morro era única. Fazíamos o que a gente bem entendesse: podíamos brincar de verdade ou consequência, fazer uma fogueira para contar histórias arrepiantes, ter aquelas boas conversas entre amigos, contar histórias, discutir assuntos, ter uma noite romântica com nossas ficantes, e até ouvir música, tudo isso vendo a lua nascer e observando as luzes da cidade logo abaixo. 

O que me traz um tipo de nostalgia é a lembrança daquelas noites quentes, a lua cheia, os amigos, aquele mar de luzes da cidade lá em baixo, aquele vento soprando constante, as estrelas acima... pra mim era um sentimento de alegria por estar ali e de contemplação.

Durante nossas subidas no Morro e nossas "voltas" de bicicleta pela estradinha, que passa logo abaixo dele, nós começamos observar um tipo de estrutura no horizonte, à Leste. Ficamos intrigados com o que seria aquilo. Começamos a especular: poderia ser uma "placa" daquelas que passam por cima das estradas, um tipo de silo para estocagem de grãos... "o que poderia ser?".

Mas sem um binóculo ou algo do tipo ficava difícil distinguir o que era aquilo. Então, durante a graduação em Ciências Biológica, emprestei de uma colega da faculdade o seu binóculo. A primeira coisa que fiz quando cheguei em casa foi ir até a Estradinha para observar aquela estrutura mais de perto que, à olho nu, parecia ser uma placa, por isso apelidei-a de "a Placa". 

Com o binóculo foi possível observar que a estrutura não é plana como uma placa, ela parecia ter quatro pilares enrolados por duas faixas. 

Nessa época eu e meu amigo Elizandro discutiamos muito a respeito da "Placa" e chegamos até a fazer uma aposta: eu disse que era um tipo de placa, e ele apostou que era qualquer coisa menos uma placa. Eu sei, eu sei. Foi foi uma aposta muito injusta. Mas estava valendo apenas R$ 1,00 e o meu objetivo era aranjar um incentivo para descobrirmos o que era aquilo.  

A aposta ocorreu a mais ou menos 7 anos e a Placa ainda está lá, do mesmo jeito! Assim como a aposta!

Alguns meses atrás, quando o Elizandro veio passar uma semana em Capanema, nós voltamos a falar sobre a "Placa", quando estávamos passando pela Estradinha. Mas dessa vez eu estava com uma câmera superzoom, que utilizo para fotografar pássaros. Dessa forma eu registrei a Placa e posso colocar no blog para todos opinarem. 

Mas meu plano é estimar a distância e o local da Placa e pegar a moto e desvendar este mistério; e claro, ganhar ou pagar R$ 1,00 da aposta.

Foto: A "Placa". Arquivo Pessoal

O que é isso? Foto: A "Placa". Arquivo Pessoal

Ps: Eu sei que a "Placa" provavelmente é alguma estrutura trivial, com a única diferança que está sendo vista de um ângulo e distância que causam um tipo de distorção, de ilusão de ótica. Mas, mesmo assim, seria muito interessante descobrir o que realmente ela é. 

3 comentários:

  1. que historia gostosa *-* adorei! na minha cidade tb nao tem nada pra fazer!!!! pra vc ter uma ideia, fomos no centro domingo a noite pra ver a decoração de natal... e toda a cidade teve a mesma ideia!!!!!!! tava um transito infeliz. bjos!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Jai! O importante é inventar algo neh. E agora com esse clima quente (beem quente) e gostoso de final de ano fica mais fácil. Uma coisa que eu gosto são as decorações natalinas, deve ser nossa ancestralidade pagã aflorando eheheheh Bjs

    ResponderExcluir
  3. Velho é a bandeira da Argentina cara, sem dúvidas! hahaha

    ResponderExcluir

Comente o que achou da postagem ou conte-nos algo!