28 fevereiro 2011

Banheiros públicos e a mentalidade ambiental

Todo mundo sabe como é a condição higiênica dos banheiros em praças, bares, restaurantes, baladas... enfim, todos os comunitários: são imundos!


O energúmeno urina no vaso e não puxa a descarga. Depois vem um ignóbil, urina e de novo não puxa a descarga. Depois vem um com problemas de mira e urina para fora do vaso. Então, quando o sanitário esta quase derretendo de tanta ureia, você que é mais educado, chega, não aguenta o cheiro e puxa a descarga (o mínimo que se tem que fazer). Alivio! Depois começa tudo de novo até alguém com um mínimo de senso cooperativista dar fim ao martírio do sanitário apocalíptico. Aí você se pergunta, "porque, mas porque não puxam a descarga, pelo menos?". Aí te ocorre a resposta. Fácil! O banheiro não é do meliante, ele não vai precisar lava-lo, não pretende ou acha que não vai usa-lo novamente; então usa, nem gasta energia puxando a cordinha da descarga e se manda; quem vier depois (desculpe o palavrão) que se foda!

Engraçado como isso se aplica em muitos segmentos sociais. Nem preciso falar da politica, mas estou pensando nos nossos recursos naturais.

Sabe como é né, o cara chega, mata, caça, desmata e se manda, quem vier depois dele que se foda! Ele tirando o dele ta bom. Quem precisar dos recursos naturais preservados para levar uma vida digna, "que se lasque!". Seus netos e bisnetos? Foda-se. Um exemplo que ilustra esse pensamento é a caça das baleias. Quem caça e promove a caça está pensando apenas em si, porque já é bem sabido que as baleias valem muito mais vivas do que mortas, alem de ser um direito de todos usufruirem do meio ambiente sadio e preservado (isso está na nossa Constituição Federal).





O problema do lixo provém do mesmo pensamento: descascou a balinha, ou chiclezinho, não gastou ATP usando o cérebro e jogou-o no chão; é mais rápido e fácil do que achar um lixeiro e ele some rapidinho, vai entupir algum bueiro e detonar com a biodiversidade. Depois é esse mesmo idiota que aparece na televisão pedindo à Deus e todo mundo para ajuda-lo porque perdeu tudo. E aí, quem se deu mau? O ruim é que além dele, toda a comunidade e indiretamente todo mundo... Essa é a cultura do espertalhão, do "o mundo é dos 'espertos'". Tá mais para o incrivel mundo dos ignorantes...


Essa cultura tem que mudar! Senão todos vamos acabar indo pelo ralo... de um sanitáro imundo...
Ps.: desculpas pelos palavrões, tinha usado, recentemente, um sanitário público; é compreensivo, vai!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que achou da postagem ou conte-nos algo!